NunoO professor universitário e escritor português Nuno Filipe Camarneiro Mendes, vencedor em 2012 do Prêmio LeYa, lançou recentemente o livro “Se Eu Fosse Chão” no Brasil. Perto dos 40 anos e com três livros elogiados pela crítica, ele também consegue encontrar tempo para dar aulas e fazer pesquisas. Mas o lado escritor bate muito forte e vai forçando passagens em sua vida. Ele confessa que sua relação com as palavras é de respeito e maravilha: “Cada palavra tem uma história e uma melodia própria. Gosto de mexer nelas como se fossem pedras preciosas, que devem ser polidas e trabalhadas para poderem brilhar”. Seu último livro traz hóspedes de um hotel como personagens da história portuguesa em diversas épocas. Para ele, um hotel é um mundo pequeno feito à imagem do outro maior. “Num quarto pode começar uma história de amor ou terminar um casamento, pode inventar-se uma utopia ou lembrar-se a perna perdida numa guerra, pode investigar-se um caso de adultério ou cometer-se um crime de sangue”. “Debaixo de algum céu”, que recebeu o mais importante prêmio de seu país, retrata oito dias na vida de moradores de um prédio à beira-mar entre o Natal e o ano novo, montando uma espécie de purgatório. No primeiro livro, “No meu peito não cabem pássaros”, lançado no Brasil em 2012, Camarneiro coloca em cena três ícones da literatura (Kafka, Borges e Pessoa). Ele nasceu na Figueira da Foz em 1977, é formado em Engenharia Física pela Universidade de Coimbra e doutorou-se em Ciência Aplicada ao Património Cultural pela Universidade de Florença. Atualmente desenvolve a sua investigação na Universidade de Aveiro e é docente no Departamento de Ciências da Educação e do Patrimônio da Universidade Portucalense. Para ele, é fundamental que a Ciência acompanhe a Literatura e vice-versa: “Precisamos das duas, mais do que nunca”.
Confira a íntegra da entrevista

Você é formado em Engenharia, quando surgiu o escritor em sua vida?
A leitura surgiu muito cedo, quando era criança e me socorria dos livros para atravessar os verões enormes, cheios de tempo e de sol. A escrita surgiu muito mais tarde, quando saí de Portugal para trabalhar na Suíça e precisei escrever para não me sentir sozinho. As personagens fazem muita companhia.

Onde busca a inspiração para suas histórias e personagens?
A minha inspiração tem três origens: tudo o que vivi, as pessoas com quem falei, os lugares que visitei e o que me foi acontecendo; os livros, os filmes, as músicas, os espetáculos de teatro; e finalmente a imaginação pura, vinda dos sonhos e de uma mente que teima em vaguear.

Esteve recentemente no Brasil. Qual foi a sua impressão? Teve contato com outros escritores por aqui? O que acha da literatura brasileira?
O Brasil é um país vibrante, mesmo a crise brasileira é criativa, cheia de estímulos e de imaginação. É muito importante para mim o contato com os leitores brasileiros, são expressivos e dizem-me o que pensam e o que sentem. Em Portugal somos mais reservados, muitas vezes dizemos apenas o que achamos mais conveniente. Leio muitos autores brasileiros, tanto os clássicos como os contemporâneos. A literatura brasileira é rica e diversificada, tão influenciada pela América como pela Europa. Estou certo que nos próximos anos vamos assistir a uma explosão literária brasileira.

Você foi uma criança leitora. Na escola foi incentivado a ler?
Sim, comecei a ler muito cedo. Tive a sorte da minha mãe ser professora da escola primária, nunca me faltaram livros.

Quem são seus autores preferidos? Algum influencia sua obra?
São muitos e variados. No meu primeiro romance “No Meu Peito Não Cabem Pássaros”, usei como personagens o Fernando Pessoa, o Jorge Luís Borges e o Kafka. Foi uma homenagem a autores que foram importantes para mim, mas há muitos outros.

Está escrevendo outro livro? Poderia adiantar alguma coisa?
Estou tentando encontrar tempo para iniciar um novo romance. Pela primeira vez vou abordar temáticas da atualidade, é um exercício arriscado, mas eu sempre gostei do risco.

Receber um prêmio tão importante no segundo livro deve trazer muita responsabilidade. O que esse prêmio trouxe para você?
Trouxe visibilidade, responsabilidade e algum dinheiro. Espero não esgotar nenhum deles demasiado rápido.

Ciência e literatura combinam?
Perfeitamente. A ciência ocupa-se de perceber o mundo físico, a matéria e a energia que nos rodeia. A literatura tenta perceber o que é isso de ser humano. Precisamos das duas, mais do que nunca.

Você também é poeta. Qual o gênero mais forte em sua escrita?
Eu sou sobretudo um ficcionista, a poesia me ajuda a brincar com as palavras e a encontrar novos caminhos. A melhor prosa consegue ser poesia.

Como está a literatura portuguesa atual?
A literatura portuguesa vive um dos melhores momentos desde sempre. Há muita gente escrevendo e escrevendo bem. Com o acesso à universidade e aos livros assistimos a uma proliferação de autores de grande qualidade. Há quem se queixe por haver demasiados livros, mas é um sinal de vitalidade.

Qual é o seu maior sonho na literatura?
O meu sonho é que daqui a 200 ou 300 anos alguém me leia e me entenda.

Luiz_TorelliOs desafios da leitura no Brasil
Luís Antonio Torelli (*)

A quarta pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Ibope Inteligência para o Instituto Pró-Livro, cuja base de dados é o ano de 2015, apresenta informações relevantes e ao mesmo tempo desafiadoras para a meta de fomentar o livro e fazer com que chegue a número cada vez maior de brasileiros. A primeira delas é uma boa notícia: o número de leitores aumentou em relação a 2011, ano base da terceira edição. Segundo a pesquisa, atualmente o Brasil é constituído por 56% de leitores (assim considerados aqueles que leram pelo menos um livro, inteiro ou em parte, nos últimos três meses). Pela projeção em relação à mostra (mais de cinco mil entrevistados), temos 104,7 milhões de leitores. O crescimento do índice em relação a 2011, quando 50% dos entrevistados caracterizavam-se como leitores, foi de seis pontos percentuais. Além de comemorar tal resultado, precisamos, agora, encarar o desafio que nos é colocado pela pesquisa Retratos da Leitura no Brasil: fomentar o livro nos 44% que ainda não são leitores. Tal objetivo é a prioridade da Câmara Brasileira do Livro, que, ao lado da Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares (Abrelivros) e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), é fundadora do Instituto Pró-Livro e apoiadora da pesquisa. Defendemos a união de esforços dos setores público e privado, para transformar o País numa nação de leitores, cidadãos pensantes e capazes de nos conduzir ao desenvolvimento. Esta é a grande meta de nossa entidade.

(*) Luís Antonio Torelli é presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL)

teacherPublicação apresenta soluções para a formação docente no Brasil
Blog De olho na educação
20/05/2016

O Todos Pela Educação divulgou o livro “Formação de Professores no Brasil – Diagnóstico, agenda de políticas e estratégias para a mudança”, baseado em uma pesquisa coordenada pelo professor e pesquisador da Fundação Getulio Vargas (FGV/SP), Fernando Luiz Abrucio, na qual são identificados, após extensa revisão bibliográfica e entrevistas com 55 especialistas sobre o tema, os principais problemas da formação docente no Brasil e indicadas quinze medidas como solução a esses entraves. Os problemas foram mencionados por Ana Maria Diniz em seu texto dessa quinta-feira, que pode ser conferido aqui. Já entre as principais medidas para solucionar esses problemas, destacamos, de forma reduzida.
Leia mais

Navegação nos e-books didáticos
Colofão
José Fernando Tavares
18/05/2016

Uma das preocupações de quem cria livros didáticos em formato digital é oferecer um recurso simples de acesso ao conteúdo. Em geral, temos a sensação de que encontrar informações é mais simples e rápido no impresso do que no digital. Podemos folhear o livro, consultar o sumário e achar uma página facilmente usando a numeração no rodapé da página. Temos ainda o índice de palavras no final do livro, as listas de imagens, de mapas, tabelas ou outros elementos que visam facilitar a consulta ao conteúdo. Um livro digital não é diferente neste sentido porque possui praticamente os mesmos recursos, incluindo ainda a possibilidade de fazermos buscas por palavras especificas. O ePub3 vem mostrando-se um formato que pode tornar um livro didático bem mais acessível, fornecendo vários sistemas de “navegação”.
Confira

Book“Encontro com o autor”, uma boa novidade para os leitores
Da Redação

Escritores e associados de clubes agora têm um novo espaço. O Sindi-Clube formalizou convênio com a Editora Planeta e criou o “Encontro com o autor”, abrindo para os clubes participantes a oportunidade de receber visitas de escritores para discussão de obras e literatura em geral. Já aderiram ao “Encontro com o autor”: Alphaville Tênis Clube, Club Athletico Paulistano, Clube Atlético São Paulo SPAC, Clube Hebraica, Clube Paineiras do Morumby e São Paulo Futebol Clube. Mais informações e inscrições pelo telefone (11) 5054-5464, com a coordenadora da Universidade Corporativa do Sindi-Clube, Maria Regina Domingues. Para Cassiano Elek Machado, diretor editorial da Editora Planeta, “os clubes, além da prática esportiva e de lazer, oferecem o ambiente perfeito para reflexão, discussão e aprimoramento pessoal. São entidades multiplicadoras de leitores, que fazem esse importante papel de fomentar a literatura”, afirmou. Entre os autores que participarão dos encontros estão Cris Guerra, Leila Ferreira, Marina Filizola, Sandra Strauss, Daniel Bovolento, Mary Del Priore, Bruno Miranda, Monja Coen, Marianne Nishihata, Thales Guaracy, Joyce Ribeiro, Gonçalo Júnior, William Waack, Luiz Felipe Pondé e J.P. Cuenca.

Epic! faz sucesso com assinatura de ebook para crianças
Publishers Weekly
By Shannon Maughan
19/05/2016

As notícias nos últimos meses na indústria do livro frequentemente mencionam que as vendas de ebooks se mantêm estáveis ou até diminuíram. Segundo relatório da Associação de Editores Norte-americanos, as vendas de ebooks nas categorias infantil e YA tiveram queda de 43,3% desde 2014. E, por vezes, as conversas sobre ebooks levam ao tema dos serviços de assinatura digital — sistema que sofreu alguns baques financeiros duros em 2015, incluindo o fechamento do Oysrter e mudanças no Scribd para estabelecer alguns limites em suas ofertas. Mas em meio a tantas notícias negativas, boas novidades surgem, na forma de serviços de assinatura de ebooks para crianças. O serviço de assinatura de ebook para crianças chamado Epic!, com sede em Redwood City, Califórnia, é uma empresa que está contrariando qualquer tendência negativa. O cofundador da empresa, Kevin Donahue, conversou com a PW sobre as últimas estatísticas da performance da empresa. “Crescemos 400% no ano passado e provavelmente vamos crescer o mesmo ou mais este ano”, ele comenta. Oficialmente lançado em janeiro de 2014, Epic! nasceu do desejo de “tornar ebooks mais disponíveis online para crianças”, disse Donahue.
Leia mais em inglês

Reading4 erros que cometi tentando fazer meu filho se tornar um amante da leitura
Readbrightly
by Kari Ness Riedel
Maio de 2016

Como uma amante de livros, criar um filho também para ser um amante da leitura é uma prioridade. Tão logo meu filho Gabe nasceu, um livro na hora de dormir se tornou um ritual muito importante para nós. Ele começou a ler cedo, e durante o ensino fundamental ele gastava horas nos livros toda semana. Mas quando entrou no ensino médio, seu interesse pela leitura como divertimento caiu drasticamente. Aqui estão alguns erros que cometi, no esforço de fazer com que Gabe continuasse a ter prazer na leitura: (1) Não tirar tempo para ler; (2) Passar os meus interesses literários em vez dos dele; (3) Não ler em voz alta para uma criança que sabe ler; e (4) Valorizar mais a arrumação do que o acesso aos livros.
Confira detalhes e comentários sobre estes erros, em inglês.

UniversityVilacine Educação, cinema especial para estudantes
Da Redação

Uma maneira interessante de estimular seus alunos a trabalhar os conceitos transversais do MEC pelo cinema é a proposta da Unibes Cultural. As sessões são gratuitas e acontecem todas as segundas às 10h30. Informações e inscrições pelo e-mail inscricao@unibescultural.org.br. A próxima sessão será dia 30 de junho com o filme “Margareth Mee”, a história da artista britânica Margaret Mee que se mudou para o Brasil na década de 1950 e produziu várias ilustrações sobre a flora brasileira.
Vilacine Educação
Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2.500 - Sumaré - São Paulo
T.11 3065-4333
Período: 23/05 a 28/11
Dia: segunda-feira
Horário: as 10 às 11 horas
Confira o site aqui

Educação, tema do Roda Viva internacional
TV Cultura

Transmitido ao vivo em 19 de maio, o Roda Viva Internacional, da TV Cultura, entrevistou o ex-diretor do Instituto Nacional de Educação de Cingapura, o professor Lee Sing Kong, responsável pela reforma educacional em seu País. Ele falou sobre essa reforma que levou Cingapura a conquistar a segunda posição no ranking PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos). Em 2009 o programa se transformou em um modelo de formação de professores para o século 21 (“Thinking Teachers”), com o objetivo de desenvolver valores, habilidades e conhecimentos que respondam aos desafios do mundo contemporâneo. A bancada de entrevistadores foi composta por Denis Mizne, diretor-executivo da Fundação Lemann; Flávia Yuri Oshima, editora de educação da Revista Época; Priscila Cruz, diretora-executiva da ONG Todos pela Educação; Fábio Takahashi, repórter do jornal Folha de S. Paulo; e Tatiana Bello, especialista em educação da Fundação Itaú Social. Paulo Caruso desenhou os participantes e situações.
Confira a entrevista da íntegra

Congresso Brasileiro de Educadores será em junho
Da Redação

Renato Janine e Mario Sergio Cortella estão entre os convidados para o Congresso Brasileiro de Educadores, programado para os dias 1 e 2 de junho, no Novotel Center Norte, à Avenida Zaki Narchi, 500, Vila Guilherme, São Paulo. Além de de debates e workshops com especialistas em educação o evento traz temas relevantes como os Desafios do trabalho com educação no Brasil, Educação na Era Digital – Youtube Teachers, Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI), cenário paulista, bullying e Base Nacional Comum Curricular (BNC). Haverá workshops e treinamentos em aprendizagem colaborativa, aprendizagem ativa, avaliação equilibrada, instrução diferenciada e gestão de sala de aula. Os interessados em participar podem se inscrever através do site: congressopearson.com.br
Informações (11) 35122467.

Ordenador5 recursos de Internet imprescindíveis para qualquer professor
Educación 3.0
Pablo Espeso
20/05/2016

A Internet é essa fonte de conhecimento onde se pode encontrar praticamente tudo. Quanto à educação, os recursos da Internet estão se tornando indispensáveis ao permitir o acesso a um mundo de possibilidades em poucos segundos, e com muita facilidade. Dentro da imensidão da Internet há muitos serviços bons, maus ou regulares; alguns mais atraentes ou focados para serem usados no âmbito da formação, e outros mais distantes do tema que nos interessa. Hoje vamos falar de 5 recursos da Internet imprescindíveis para qualquer professor, que agradecerá poder contar sempre com eles. Entre eles, o Edmodo, Geogebra e Wikipedia.
Leia mais em espanhol

Estante
O cérebro da criança -— 12 estratégias revolucionárias para nutrir a mente em desenvolvimento do seu filho e ajudar sua família a prosperar
Editora: nVersos
Autor: Daniel J. Siegel e Tina Payne Bryson
Tradutor: Cássia Zanon
Número de Páginas: 240
Preço de capa: R$ 39,90
ISBN: 9788584440733

O livro descreve métodos que transformam interações cotidianas em momentos de estímulo do hemisfério cerebral responsável pelo equilíbrio emocional. Os autores — o neuropsiquiatra Daniel J. Siegel e a especialista em criação de filhos Tina Payne Bryson — desmistificam os ataques de fúria e a irritação dos pequenos e, à luz de recentes descobertas científicas, explicam o amadurecimento e a programação do cérebro de uma criança.  Prático e didático, o livro é repleto de explicações claras, estratégias adequadas a cada faixa etária para lidar com situações do dia a dia, e ilustrações que ajudarão a explicar os conceitos às crianças.

 

0